A Edições Viriato surge da necessidade de aplacar alguns dos inúmeros desafios que a cultura portuguesa enfrenta:

 – Desde sempre, Portugal foi um ponto de encontro de saberes. Muito antes do seu nascimento, viu passar pelas suas terras inúmeros povos e uma infindável riqueza cultural. Essa fonte inesgotável de mitos e ideias faz, ainda hoje, parte deste povo e necessita de ser preservada, sendo a literatura um dos vectores essenciais.

 – A cultura é considerada por alguns como um sector secundário da nossa sociedade. Ouve-se muitas vezes dizer que não é importante, pois não enche o estômago nem a carteira. É evidente que, para além de uma crise económica e social, atravessamos uma crise de valores.

 – Durante o último século, avanços tecnológicos e sociais levaram à multiplicação do número de editoras. A redução do preço tornou acessíveis bons livros, bem como numerosos jornais e revistas, à maioria da população. Todavia, uma grande fatia do actual mercado editorial está assente nos princípios da cultura de massas estandardizada e de fácil digestão, sendo necessário uma mudança de paradigma.

 – Em Portugal, existe uma clara preferência por autores estrangeiros, enquanto a divulgação de novos autores portugueses de história, ciência e literatura se encontra negligenciada.

Pelos motivos acima enunciados, a Edições Viriato pretende destacar-se no mercado editorial português pela publicação e promoção de novos talentos de história, ciência e literatura. Consideramos que tanto o autor como o leitor devem ser valorizados, que o universo editorial não se deve reger pelos grilhões do interesse económico e que a publicação de livros deve causar o mínimo de impacto ambiental. Como tal, baseamos a editora nas seguintes éticas:

– cuidar do planeta: edições amigas do ambiente, impressas em papel reciclado;

– cuidar dos autores e leitores: os autores recebem apoio na divulgação e pagamento justo (10% do preço de capa) pelo seu trabalho sem terem de pagar/investir um único cêntimo; os leitores têm acesso a edições de qualidade a um preço acessível;

– partilha dos lucros: o lucros subsequentes são usados no crescimento da editora e no investimento em novos autores.